Logo do LiquidSky com um fundo de galáxia

Minha experiência com o LiquidSky

A cada dia que passa, a era dos streamings só aumenta. Já temos estabelecido o streaming de música, com o Spotify, o streaming de vídeos, com a Netflix, e temos uma empresa querendo estabelecer o mercado de streaming de jogos: A LiquidSky. Isso mesmo, já é possível rodar jogos na nuvem, sem precisar de um super computador (apesar de que você vai precisar de uma super internet).

Funcionalidades

Disponível para Windows, Android e futuramente para MacOS, o LiquidSky basicamente cria um computador na nuvem. Com isso, você pode rodar Witcher 3 ou Overwatch, por exemplo, no seu smartphone, já que todo o processamento é realizado na nuvem.

O seu “Cloud PC” já vem com Chrome, Steam, Origin e Blizzard App pré-instalados, então basta escolher qual a plataforma que deseja utilizar, fazer o login e começar a baixar seus jogos.

Conexão

Para utilizar o LiquidSky, é preciso ter uma boa conexão de internet. O mínimo exigido é de 5mb/sec, porém o ideal é ter uma conexão acima de 20mb/sec. Também é necessário que seja uma conexão cabeada ou através de um Wi-Fi 5Ghz para evitar alta latência, e não prejudicar a jogabilidade.

Os servidores possuem conexão de 10Gbit/sec, sendo possível baixar qualquer jogo em uma velocidade bem maior do que a sua conexão em casa. Segundo os meus testes, baixei o Overwatch com velocidade de 30~70mb/sec, levando um pouco menos de 5 minutos.

Atualmente existem 8 servidores da LiquidSky distribuídos entre os continentes, e por sorte, um dos servidores fica localizado em São Paulo, o que ajuda a manter um ping baixo.

Desempenho

Se o seu objetivo é ser um jogador competitivo de FPS, talvez o LiquidSky não seja a melhor opção, pois ele as vezes dá uma travadinha que pode atrapalhar na precisão do mouse. Porém para apenas uma jogatina casual, a qualidade é aceitável. Fiz um vídeo de teste com o Overwatch rodando no LiquidSky com resolução 720p60, que você pode conferir abaixo e tirar suas próprias conclusões:

Preço

Em teoria, existe uma versão gratuita, em que é possível conseguir créditos vendo anúncios, porém nem sempre há anúncios disponíveis para assistir. Caso você tenha interesse em pagar, existem duas possibilidades (ambas bem caras): O Pay-as-you-go, onde é possível comprar “créditos” que se transformam em minutos de jogo, a partir de 9.99 dólares, ou uma assinatura mensal, que começa em 19.99 dólares.

O que você achou do LiquidSky? Acha que essa tecnologia tem futuro, ou que não vai dar muito certo? Deixa nos comentários a sua opinião! 😉

 

@Update: A LiquidSky fez um post informando que a partir de 10 de setembro, o servidor de São Paulo será fechado, e os usuários brasileiros terão que utilizar o servidor de Dallas. Se você está vendo este post depois desta data, desconsidere os testes de desempenho.